quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Jakary, a Deusa das Crianças

Nascida de uma relação entre Lena e Nimb, Jakary é considerada a deusa da infância. A própria deusa é uma eterna criança, já que herdou traços tanto de seu pai quanto de sua mãe. Ela representa a vida, a traquinagem, a alegria e tudo o que é típico de uma criança.

Motivações: a deusa da infância teme o sofrimento das crianças. Ela deseja que qualquer criança, não importando raça ou espécie, tenha o direito de ser feliz. De poder brincar e aproveitar a vida ao máximo a melhor fase da vida.

Outros nomes: Dihera, entre os elfos; Elikim entre os anões; Baarga-Iluh, entre os goblinóides (sim, os goblinóides reconhecem Jakary como deusa, afinal, também existem crianças entre eles).

Avatar: são os mais diversos possíveis. Desde um garoto traquina e esperto até uma menina mimada e que não larga sua boneca preferida.

Relações: Lena é quem cria Jakary. Ela age como uma mãe típica (exceto pelo “detalhe” de ser uma deusa...), dando broncas e carinho, dependendo da ocasião. Nimb adora a filha, mas obviamente não age como pai responsável. Dizem que este posto é ocupado por Khalmyr; para a ira de Nimb, é ele quem dá broncas e castigos para Jakary (certa vez, depois de fazer uma caricatura de Tanna-Toh, ela teve que contar quantas árvores existem em Arbória, o reino de Alihanna...).
Hyninn é seu irmão paterno, e age como tal, pregando muitas peças em Jakary (deixando-a muito brava...). Os deuses gostam de Jakary, ela é adorada por todos os deuses bons, e até por alguns considerados malignos.

Presentes: Jakary já ganhou muitos presentes dos deuses maiores, muitos deles vêem na pequena deusa algo que os agrada. Tenebra lhe deu uma caixa que quando aberta conta histórias de terror, e Megalokk lhe deu um filhote de dragão negro (que nunca cresce) como animal de estimação. Alihanna fez o mesmo, mas em vez de dragão deu um filhote de unicórnio. Nimb lhe enche de presentes “malucos”, atitude reprovada por Lena. Tanna-Toh sempre dá livros (que Jakary dificilmente lê...).

Clérigos de Jakary

As crianças que se tornam clérigos de Jakary são geralmente aquelas que tiveram alguma doença e os pais resolvem que é melhor entregá-la para as sacerdotisas de Lena. Crianças normais também se tornam clérigos, já que é um orgulho para a família ter um destes clérigos. Crianças abandonadas e deficientes (físicos ou mentais) também são aceitas entre os clérigos.
Clérigos de Jakary são, sem dúvida, alguns dos mais estranhos sacerdotes de todos os deuses. Elas vivem numa brincadeira (note que elas não são insanas, pois sabem que tudo é brincadeira), se passando por grandes guerreiros, magos, e até sacerdotes de outros deuses. É comum um clérigo de Jakary desenvolver poderes “malignos” só para ser o vilão durante as brincadeiras.
Além disso, um clérigo das crianças jamais irá envelhecer, devido ao Ritual da Eterna Infância (veja abaixo).

Poderes Garantidos / Obrigações e Restrições: um clérigo de Jakary será criança para sempre. Aplique as estatísticas necessárias para crianças dependendo do sistema. Os clérigos de Jakary, como os clérigos de Marah, jamais podem ser atacados ou serem vítimas de atos violentos, tamanha a inocência e paz que eles emanam.
Um clérigo de Jakary deve sempre obedecer suas mães (as sacerdotisas de Lena e/ou Marah). Ele também nunca pode se afastar muito de sua casa (o templo). As magias deles são “adaptadas” para brincar, sendo que jamais vão causar dano. Uma bola de fogo, por exemplo, vai fazer cócegas ao invés de queimar a vítima. Magias de cura ou qualquer outra que não cause dano têm efeito normal.


O Ritual da Eterna Infância: Quando uma criança vai se tornar um clérigo de Jakary, é realizado um ritual onde lhe é entregue a eterna infância. Esta criança jamais irá envelhecer, sendo criança para sempre. Com o tempo a criança poderá adquirir conhecimento, mas terá sempre personalidade de criança.
Ela vai morrer um dia, mas essa morte será calma e feliz, pois crianças odeiam sofrer (é chato demais!). Essa morte vai depender da raça da criança, um humano vai morrer por volta dos 100 anos, um elfo ou anão, depois dos 200 anos ou outras raças de acordo com a média de vida normal (note que essas crianças tendem a morrer no máximo permitido para sua raça, já que elas são sempre superprotegidas pelas sacerdotisas de Lena e/ou Marah, que não permitem que morram de formas não-naturais).

Karina, sumo-sacerdotisa de Jakary
Esta garotinha de aparentemente oito anos pode ser vista freqüentemente brincando e se divertindo no templo de Jakary em Valkaria. Ela e Tâmara, sua boneca inseparável, podem sempre ser vistas no templo ou em suas redondezas, brincando com as crianças locais.
Karina não é uma menina levada, ao contrário, ela é séria e faz as coisas com zelo.
Comenta-se que a garotinha já está chegando aos 60 anos de idade, isto é, já está velha para os padrões humanos.
Karina é criada pelas sacerdotisas de Lena em Valkaria. Sua “mãe” é Ramah, uma poderosa sacerdotisa da vida (algumas pessoas comparam o poder de Ramah com a própria Tella Andoren, sumo-sacerdotisa de Lena).
A história de Karina é comum, porém interessante de ser contada. Segundo o que se diz, quando ela ainda era um bebê foi abatida por uma doença terrível, que se não a matasse, a deixaria incapacitada para o resto da vida. A intensidade da doença era tão grande que até as sacerdotisas de Lena eram incapazes de curá-la.
Segue-se, abaixo, um pequeno conto descrevendo a cura dela:

3 comentários:

  1. [Motivações: a deusa da infância teme o sofrimento das crianças. Ela deseja que qualquer criança, não importando raça ou espécie, tenha o direito de ser feliz.]

    "Ter um amigo, na vida é tão bom ter um amigo, a gente precisa de amigos do peito, amigos de fé, amigos irmãos iguais a eu e você..."

    Gostei do texto, muito legal, mas imagino q esse texto seja antigo, já que depois do lançamento de "Galrasia", Lena se mostra como o aspecto da eterna criança.

    ResponderExcluir
  2. No galrasia mostra lena como uma eterna criança em seu plano. Principalmente antes da traição. Talvez ter tido uma filha fosse a forma de ter uma eterna amiguinha pura como ela eternamente. Ja que Galron mostrou que o coração dos adultos pode ser corrompido.

    ResponderExcluir
  3. Os Deuses Menores são totalmente essenciais no mundo de Arton... Excelente blog ae Nandinho...

    by Mário Monteiro

    ResponderExcluir