segunda-feira, 6 de junho de 2011

O tempo das Perturbações - Onde estavam os deuses.

Efeitos e Fenômenos

Quando os deuses desceram a Faerûn, as leis da Física e da Magia foram viradas do avesso e muitas coisas estranhas passaram a acontecer. Eu pensei que seria interessante listar alguns desses bizarros fenômenos para quem quiser fazer uma aventura durante o Tempo das Perturbações ou ou um evento parecido.

* A começar pelo básico, clérigos e usuários de magia divida pararam de receber poderes e magias. Apenas se estivessem a menos de uma milha do avatar de seu deus esses poderes voltavam. Eu imagino que foi um tempo bem difícil para clérigos, o que não deixa de ser interessante uma vez que na 3rd edição eles são a classe mais poderosa.

* Magos e usuários de magia arcana tampouco escaparam do caos no cosmos. É importante lembrar que sem Mystra para controlar a Trama, magia passou a ser imprevisível e muitos magos morreram vítimas de suas próprias magias. Meia-noite, por exemplo, evitava a todo custo lançar magia na série de livros Avatar. Percebendo o risco, até mesmo o poderoso Manshoon teve que esconder-se nessa época. ( Avatar series - Tantras, pag 2)

* O clima enlouqueceu e poderia nevar e fazer calor ao mesmo tempo. ( Avatar series - Tantras, pag 2)

* Alguns dias simplesmente não amanheceriam e era noite o dia inteiro. Outros mais de um sol apareceriam no céu. ( Avatar series - Tantras, pag 2)

*Plantas, animais e até mesmo pessoas poderiam sofrer mutações as súbitas e virar lindas novas criaturas ou aberrações. ( Avatar series - Tantras, pag 2)

* O rio Ashaba dos Vales passou a correr ao contrário. ( Avatar series - Tantras, pag 47)

*Se as coisas ficaram difíceis para clérigos e magos durante o Tempo das perturbações, o mesmo pode-se dizer a respeito das pessoas comuns.

*Plantas passaram a falavam de vez em quando com Fazendeiros, e artesãos podiam ser surpreendidos ao ver em um instante todas as suas ferramentas transformadas em vidro e explodirem em mil pedaços diante dos seus próprios olhos. ( Avatar series - Tantras, pag 3) 
*Sem Myrkul para recebê-los no reino dos mortos, muitas almas passaram a vagar por Faerûn sem saber para onde ir. Esses espíritos são descritos como Fantasmas, mas sem os poderes dos mortos-vivos verdadeiros. ( Avatar series - Tantras, pag 5-7)

*As plácidas águas do lago Yeven transformaram-se em um gigantesco redemoinho sugando todo em direção ao centro de onde uma luz branca-azulada piscava. Para onde será que isso levava? ( Avatar series - Tantras, pag 102)

*Em Tantras, por causa da presença do avatar de Torm, era sempre dia e nunca escurecia. Coitado de quem tinha insonia. ( Avatar series - Tantras, pag 228)

*A caminho de Scardale, a tropa de Zhentilar que Cyric havia se juntado foi dizimada por uma chuva de lâminas vindas do céu. As lâminas eram do tamanho de espadas curtas, e queimavam ao toque. ( Avatar series - Tantras, pag 198 - 204)

*A cidade de Hlintar foi abandonada depois que uma ventânia sobrenatural trouxe os mortos de volta dos túmulos. ( Avatar series - Tantras, pag 230)

*Perto de Eveningstar, árvores de uma floresta simplesmente desenraizaram-se e foram embora caminhando. No lugar da floresta só restou uma planície com milhares de crateras.

*Na fortaleza Highhorn em Cormyr, choveu água cor de sangue e fria como gelo.

*Ainda em Cormyr, no lugar do sol apareceu um olho multifacetado com um brilho esverdeado, mas sem calor.

* Como curiosidade, o avatar de Bhaal estava em Cormyr nessa época. Ele chacina a tropa de Zhentalar de Cyric nos Haunted Halls of Eveningstar e depois invade a fortaleza Highhorn em busca da Tábua dos Destino que está com Adon, Kelenvor e Meia-noite/Mystra. Mas é preso em uma prisão de âmbar criada pela magia incrivelmente poderosa e "estranha" de Meia-noite.
Ela não sabe como, mas agora consegue produzir magias diretamente da Trama sem precisar decorá-las, o que é uma mão na roda já que o seu livro de magias foi queimado por halflings.  

*Uma gigantesca cortina negra se ergeu nas Montanhas do Crepúsculo. Adon foi examinar e colocou um galho na na misteriosa cortina de escuridão. Quando tirou o galho para fora, o pedaço que havia penetrado a cortina estava faltando.

*Vocês lembram das árvores que eu mencionei acima? Bem, elas foram andando até Suzail e atacaram as muralhas da capital de Cormyr.

*Perto de Waterdeep, milhares de peixes saltaram para fora do mar na Costa da Espada tentando aventurar-se o mais longe possível em terra firme.

*Sem Myrkul para recebê-los no reino dos mortos, muitas almas passaram a vagar por Faerûn sem saber para onde ir. Esses espíritos são descritos como Fantasmas, mas sem os poderes dos mortos-vivos verdadeiros. ( Avatar series - Tantras, pag 5-7).

*E vale mencionar que a cidade de Hlintar foi abandonada depois que uma ventânia sobrenatural trouxe os mortos de volta dos túmulos. ( Avatar series - Tantras, pag 230)

*Eu já havia colocado essas duas, mas é sempre bom lembrar. O que mais posso contar sobre os mortos no Tempo das Perturbações... Bem, o avatar de Myrkul era sempre acompanhado por um exército de centenas de zumbis. Aparentemente, esses zumbis eram inteligentes.
Ele envia essa horda de mortos-vivos atrás que Tábua do Destino que está Meia-noite, Kelemvor e Adon. No Castelo Dragonspear, os zumbis capturam a tábua para Myrkul. Na ocasião o trio de heróis era atacado pelos zumbis e Cyric ao mesmo tempo.

* Em um céu sem lua as núvens formaram formas geométricas fosforescentes, iluminavam a noite com figuras luminosas como retângulos e trapézios gigantes.

*Um dia Cormyr amanheceu coberta por uma neblina alaranjada que era quase sufocante de tão quente e estranhamente seca.
Aonde os deuses estavam

O ano de 1358 CV, o Ano das Sombras e o Tempo das Pertubações, também conhecido como a Guerra dos deuses ou quando os deuses andaram em Toril, foi o mais destrutivo e marcante tempo na Historia recente de Faerûn. Em quanto a Avatar Trilogy (Shadowdale, Tantras e Waterdeep) segue a aventura de quatro heróis mortais e envolve alguns do Deuses de Faerûn diretamente, e outros novelas e complementos de Forgotten Realms nos revelaram o que aconteceu com muitos outros deuses.

Panteão de Faerûn

O panteão de Faerûn foi o mais envolvido no Tempo das Pertubações, com seus membros diretamente responsaveis pelos eventos que causaram e terminaram com esta crise.

Panteão Faerûniano
O panteão Faerûniano esteve mais proximamente envolvido no Tempo das Perturbações, com seus membros diretamente responsáveis pelos eventos, conduzindo e terminando a crise.

Azuth: O Lorde da Magia passou muito tempo cuidando de parte do poder de Mystra e guardando a estátua dela no Poço de Yeven, no Vale da Batalha.

Bane: Lorde Bane chegou primeiro ao Forte Zhentil, mas continuou adiante para viajar através da parte lesta das Terras Centrais nos Reinos na sua busca pelas Tábuas do Destino.

Bhaal: Bhaal teve sua primeira aparição como uma força que poderia possuir humanos em Estrela Vespertina, Cormyr, onde ele deu início à diversão com assassinatos e destruição. Ele também viajou para terras distantes durante a Crise dos Avatares.

Eldath e Mielikki: Eldath apareceu com Mielikki no Norte entre os ramos da Floresta das Brumas, onde juntos eles trabalharam para evitar que seus seguidores pecassem.

Garagos: Garagos amotinou-se no porto do Portão Ocidental antes de vagar pelo Mar das Estrelas Cadentes, deixando um porto vermelho como sangue após seu despertar.

Gond: O Arauto das Maravilhas caiu em Toril como um gnomo na costa de Lantan. Em gratidão pelo abrigo, ele ensinou aos Lantaneses os segredos da pólvora.

Gwaeron Windstrom e Shiallia: Seguindo sua derrota nas garras de Nobanion, Malar, o Lorde das Bestas, foi implacavelmente perseguido por todo o Norte por Gwaeron e não pôde tirar o Mestre Rastreador da sua trilha. Shialla se aliou a Gwaeron Windstrom, reparando os danos do alvoroço destrutivo de Malar.

Helm: O Vigilante foi o único Deus que não perdeu seu poder divino e foi incumbido de guardar a Escadaria Celestial, um portal que leva ao domínio do outro mundo dos deuses, dos seus irmãos.

Hoar: Hoar espreitou o Velho Império, aparecendo em Akanax, onde ele tomou o corpo do Rei Hippartes como seu avatar. Então, ele reapareceu em Thay para obter o esconderijo das armas, e apareceu em Unther, onde ele assassinou seu antigo rival, Ramman, o deus da guerra Untherica.

Ibrandul: Ibrandul, deus das cavernas, foi assassinado no Subterrâneo, sob Águas Profundas por Shar, em segredo, e seu aspecto foi roubado.

Iyachtu Xvim: O avatar do deus Iyachtu Xvim, meio-demônio cria de Bane, foi aprisionado sob o Forte Zhentil.

Lliira e Waukeen: A Deusa dos Prazeres conheceu Waukeen próximo ao Vale das Sombras. Daí fizeram uma jornada pela Escadaria Celestial. Ameaçadas por Helm, as duas se retiraram para Cormanthor para planos futuros. Lá Waukeen usou seus contatos divinos para escapar dos Planos Exteriores, deixando o que restou da sua divindade aos cuidados de Lliira. Waukeen viajou primeiramente através do Plano Astral e então ao Abismo, onde ela foi traída e capturada pelo Lorde Demônio Graz’zt. Levou mais de uma década até que a Amiga dos Mercadores fosse resgatada do Palácio Argênteo.

Loviatar: Acreditava-se que A Deusa da Dor estivesse em Águas Profundas.

Malar: Malar lutou contra Nobanion na Floresta Gulthmere antes de fugir para o Norte, onde foi caçado por Gwaeron Windstrom.

Mask: Mask passou seu tempo viajando secretamente pelo interior de Faerûn, disfarçado de um espada. A famosa ruina dos deues.

Mielikki: Ver Eldath acima.

Milil: Milil viajou até a Casa Arbalest em Athkatala, capital de Amn, onde ele fundou pessoalmente um círculo de canto e encarregou seus fiéis de construir um novo templo. 

Cavaleiro Vermelho:  Cavaleiro Vermelho apareceu no noroeste de Tethyr, onde ela ajudou aquela nação derrotar os monstros que invadiam vindos de Wealdath.

Savras: Há muito tempo atrás aprisionado no Cetro de Savras por Azuth, Savras permaneceu assim durante o Tempo das Perturbações. Seguindo aquela crise, Azuth concordou em libertar Savras em troca de seu juramento de lealdade.

Selûne e Shar: Shar e Selûne lutaram outra rodada de sua antiga batalha, dessa vez como mortais em Águas Profundas. Shar também secretamente matou Ibrandul sob Águas Profundas e roubou seu aspecto.

Shar: Ver Selûne acima.

Sharess: Sharess roubou a forma da concubina favorita do paxá de Calimporto e foi liberada da crescente influência de Shar por Sune.

Shaundakul: Shaundakul vagou pelas ruínas de Myth Drannor, onde ele lutou e destruiu o avatar de uma divindade menor orc.

Shiallia: Ver Gwaeron Windstrom acima.

Siamorphe: Siamorphe manifestou-se na mansão de uma dama de Águas Profundas e protegeu o Distrito Norte e o Distrito do Mar daquela grande cidade dos enormes danos causados pela Guerra dos Deuses.

Silvanus: Existem relatos de Silvanus ter sido visto no Bosque do Inverno e na Floresta Chondal, ambos na Orla de Vilhon.

Sseth: O avatar de Sseth, deus do povo serpente yuan-ti, apareceu nas Selvas Negras na forma de uma serpente gigante, alada e usuária de magia, onde ele desafiou seu clero a reconstruir sua força. Ele também lutou contra Ubtao para que se retirasse da margem leste de Chult. O Lorde do Mau Mulhorandi, Set, assassinou Sseth e absorveu seu aspecto.

Sune: Sune resgatou Sharess das garras malignas de Shar, mergulhando Sharess nas águas sagradas de Ouro Eterno antes de chegar em Tezir, na Costa do Dragão.  

Talona: Talona apareceu para um mago humano maligno chamado Aballistes, dotando-o com a receita para a poderosa Maldição do Caos, e incumbiu-o de encontrar uma ordem tríade de magos, clérigos e guerreiros na tão falada montanha-forte do Castelo da Trindade.

Talos: Talos, o Furioso, passou seu tempo em Tsurlagol, na Vastidão.

Tempus: Tempus chegou no paiol de um castelo destruído no Vale da Batalha, antes de se mudar para o campo de batalha no Riacho das Espadas no Vale da Névoa.

Torm: Torm descobriu um grande mau sendo feito em seu nome na cidade de Tantras, na Vastidão. Lá ele viajou para retificar este erro e proteger aquela cidade.

Tymora: Tymora apareceu no seu templo em Arabel, em Cormyr, e se pensou que sua presença lá poupou a cidade de muita destruição.

Ubtao: Ubtao perseguiu o comprimento e a largura de Chult na forma de um tiranossauro, onde ele lutou para expulsar Ssseth, a Grande Serpente, na borda leste de Chult.

Ulutiu: Eras atrás, Ulutiu afundou no profundo Oceano Gelado, fazendo-o congelar e se tornar a Grande Geleira. Lá ele hiberna desde então, incluindo o Tempo das Perturbações.

Umberlee: A Rainha Cadela passou o Tempo das Perturbações no Mar das Estrelas Cadentes espalhando destruição de uma ilha pirata a outra. Ela também apareceu o Mar sem Rastros, na costa de Trisk, próxima às Rochas Púrpuras, onde se acredita que ela se encontrou com seu guardião, um poderoso kraken.

Waukeen: Ver Lliira acima. 

Os locais onde estiveram vários poderes Faerûnianos permanecem desconhecidos, embora alguns poderes possam ser deduzidos, incluindo Akadi, Auril, Beshaba, Chauntea, Deneir, Eshowdow (desde que foi morto), Gargauth, Grumbar, Ilmater, Istishia, Kossuth, Lathander, Leira (desde que foi morta), Lurue, Oghma, Tyr, Uthgar e Valkur

Da mesma maneira, o semi-deus Jergal é misteriosamente dito não ter participado do Tempo das Perturbações. Além disso, alguns poucos deuses ainda não haviam se tornado divindades, incluindo Finder Aguilhão de Wyvern e Velsharoon.  

Panteão Mulhorandi

Antes da Guerra dos Deuses, a antiga nação de Mulhorand era regida pelas encarnações e manifestações dos seus deuses. O Tempo das Perturbações mudou isto, enviando os deuses Mulhorandi aos Planos Exteriores, mas também trazendo uma nova era de ativismo para o panteão. O local onde a maioria dos deuses Mulhorandi esteve durante este tempo incluindo Hathor, Isis, Nephthys, Osiris, Sebek, Set e Thoth, permanece desconhecido – embora a maioria deles provavelmente estivessem localizados no próprio antigo império.

Anhur: Anhur distingue-se durante a Guerra dos Deuses pela batalha contra o avatar de Sekolah, a grande divindade tubarão branco dos sahuagin, que vagou pelo Mar Alamber. Ele também clamou o aspecto do deus da guerra Untherica, Ramman, de seu assassino, Hoar.

Geb: Geb liderou um exército dos seus mais fiéis seguidores a construir um templo secreto conhecido como a Forja Dourada, nas profundezas do vulcão na ilha conhecida como o Navio dos Deuses, onde ele lutou para evitar que o vulcão explodisse até esse dia.

Horus-Re: Horus-Re regeu Mulhorand através da sua manifestação no Faraó Horustep III, no capitólio de Skuld. O fim da Crise dos Avatares removeu aquela divindade de Horustep, deixando-o apenas como um mortal de linhagem divina.
Panteão Untherico
Depois de milênios de tirania e de um regimento equivocado por parte de Gilgeam, o que restou do panteão Unterica teve seu fim durante a Guerra dos Deuses.

Gilgeam e Tiamat: Gilgeam, o deus-rei de Unther, foi morto pela sua rival Tiamat em Unthalass, pondo um fim em seu reinado de dois mil anos sobre aquela nação e declarando o fim do panteão Untherico. Tiamat, então, se uniu ao dissimulado panteão Faerûniano.

Ramman: Ramman, o deus Untherica da Guerra, foi morto por seu antigo rival Hoar, mas conseguiu evitar que seu assassino lhe roubasse seu aspecto, passando-o, então, para Anhur do panteão Mulhorandi.

Poderes Não Humanos
Muitos poucos locais onde estavam os deuses não humanos foram revelados. Os poucos que foram revelados são listados a seguir.

Clangeddin Barba de Prata e Labelas Enoreth: Clangeddin Barba de Prata, na forma de três anões moldados em um elemental da terra gigante, combateu Labelas Enoreth, que havia possuído o corpo de seu clérigo Vartan Hai Sylvar para usá-lo como seu avatar, por causa de um mal-entendido sobre a ilha de Ruathym. A batalha resultou na destruição do avatar de Clangeddin.

Duerra das Profundezas: O avatar de Duerra apareceu em Pináculos Subterrâneos, uma cidade duergar abaixo das Montanhas Osraun, ao norte de Turmish, na forma da Rainha Mãe, que serviu como regente da cidade até que o jovem rei tivesse atingido sua maturidade. Sob a liderança da deusa, o exército da cidade expandiu as propriedades de Pináculo Subterrâneo, antes que ela desaparecesse nas porções mais ao sul do Subterrâneo.

Ilsensine: O Lorde dos Tentáculos dos devoradores de mente se manifestou na cidade de Oryndoll, quilômetros abaixo das Planícies Brilhantes, a oeste da Orla de Vilhon, adotando o cérebro ancião de Oryndoll como sua forma avatar. 
 
Lolth: A Rainha Aranha apareceu na grande cidade de Menzoberranzan, lar do renegado Drizzt Do’Urden, onde ela supostamente matou uma divindade menor drow do assassinato e usurpou seu aspecto.

Segojan Convocador da Terra e Urdlen: É dito que Escudo Rígido foi visto perto do local de uma grande batalha entre avatares e servos do Lorde dos Refúgios, Segojan, e o Rastejador das Profundezas, Urdlen.

Sekolah: A grande divindade tubarão branco dos sahuagin lutou contra Anhur na costa de Mulhorand, no Mar Alamber.

Selvetarm: Selvetarm amotinou-se na cidade drow de Eryndlyn, localizada nas cavernas escondidas abaixo do Pântano Alto, atacando os fortes dos seguidores de Ghaunadaur e Vhaeraun. O avatar foi eventualmente conduzido para o selvagem Subterrâneo por uma aliança de cultos vitimados por ele.

4 comentários:

  1. Opa, salve Alexandre,

    Ótimo resumo das características do periodo. Uma pena não ter mais informações do que os demais deuses estavam fazendo (estou vasculhando no Candlekeep para ver se encontro algo).

    Seria bom uma timeline nem que fosse estimada dos fenômenos e acontecimentos

    ResponderExcluir
  2. Opa.
    Essas informações são de grande valia. Tenho uma campanha pré ToT, mas terei de ajeitá-la pois não conseguirei traduzir a trilogia básica e mestrar os três livros como gostaria. Cheguei a traduzir até o sexto encontro após o sexto evento do Livro Vale das Sombras (página 10). Não manjo 20% inglês, então ficou um trampo exaustivo demais.

    Tenho, também, alguns capítulos de tradução postada há muitos anos por um tal "Visitante", no antigo fórum da Rede RPG, e que guardo cá no word com muito carinho esses anos todos. Os capítulos traduzidos do Romance são "Mystra vs Bane", "Godsbane", "Assalto à Torre invertida", "Encontro de Bane e Cyric" e "As Lágrimas de Baal". São boas páginas. O tal ficou de postar o encontro na ponte Boareskyr, mas ele sumiu de repente, e fiquei na saudade. É um belo material - sou particulamente apaixonado pela trilogia das aventuras, e um tanto frustrado, pois.

    Se você tiver algo mais do ToT traduzido aí, em pdf, e puder me mandar, seria bacana. Ou, ainda, se se interessou pelas traduções que eu disse acima e quiser trocar, só dizer.

    Valeu, e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  3. Belo post, demonstrou bem a época neurótica que foi o Tempo das Perturbações.

    ResponderExcluir