segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

A Guilda do Lago - Grindel a CIdade da Lista Tormenta

Ao Longe podem ser vistas as Montanhas Uivantes

Um personagem importante da época de colonização da região Norte de Zakharov, foi o atual chefe da Guilda do Lago, Justin Squelpar. Enquanto se estabeleciam na região, ele surgiu, se dizendo "protetor do lago sagrado da deusa Nerelin". Foi criado um impasse: os peixes que as pessoas pescavam no lago eram essenciais para a sobrevivência da pequena comunidade. 
Porem, este "clérigo de Nerelin" incomodava, espantando os peixes com muito barulho, jogando comida para evitar que os peixes fossem atraídos pelas iscas dos pescadores, que começavam a viver nas cercanias do lago. Varias redes foram rasgadas, e houve o caso em que uma casa que ainda estava sendo construída ter sido queimada.

A História

A relação entre a comunidade e Justin Squelpar não era das melhores, com certeza. Porém, tudo mudou quando houve uma doença contagiosa, a qual começou em um ano de rigoroso inverno. As crianças da vila estavam com muita febre, e os velhos morriam um após o outro. Isso foi tão marcante na historia da vila que ficou doravante conhecido como "Inverno da Praga" Os únicos clérigos existentes na região eram os clérigos de Vianny e os de Tanna-Toh, que embora conhecessem muito sobre remédios, mal conseguiam fazer com que a população continuasse viva. Foi quando ele apareceu, trazendo um barril que continha uma beberagem “feita de água do fundo do lago sagrado, e algumas plantas das Colinas de Lena.”

Milagrosamente, aquela beberagem fez com que os enfermos sarassem quase que instantaneamente.

Em troca da cura, o clérigo pediu que o lago fosse considerado sagrado e que ele pudesse controlar o acesso sobre quem entraria ou não nas águas sagradas. A cidade não teve muita escolha, a não ser concordar. E desde essa época, a "Guilda do Lago", criada e comandada por este estranho "clérigo" detém o controle sobre quem entra no lago, mesmo que seja para um simples banho. Ele passou a permitir que os pescadores pescassem peixes e recolhessem moluscos para sua alimentação, e a população passou a respeitar o lago como sagrado desde então.


O Controle da Guilda

O comando da Guilda, formado por Justin, e alguns poucos "iniciados" por ele, é pouco justo, cobrando taxas por qualquer coisa que é feita no lago. Na maior parte das vezes ela fica com uma parte dos lucros da venda dos peixes no mercado de Grindell, mas pode pedir outras coisas dos pescadores, como pequenos favores. Mas também é fato entre os moradores próximos do Lago Semele que os "iniciados" costumam ajudar os necessitados, quando a situação fica difícil.

Diz à lenda que Semele foi a sereia que encantou o líder da antiga tribo bárbara que vivia às margens do lago antes da fundação de Grindell. De acordo com a estória, este Elder era amante da deusa do vinho, e se apaixonou pelo canto da sereia. Vianny com ciúmes de seu amado com a sereia, que vivia no lago, tingiu as águas de vermelho, envenenando a sua rival... Mas isso é só uma lenda, o lago não é vermelho.
                  
Exploradores mapearam quase todo o fundo do lago há muitos anos, e descobriram que ele tem o formato aproximado de um funil bojudo, com um profundo poço no centro que não pôde ser explorado em sua totalidade, tanto pela escuridão crescente como pelo fato da água começar a ficar "insuportável" quanto mais se aprofunda no poço, o que quer que isso signifique. Alguns dos exploradores subaquáticos chegaram mesmo a relatar espécies bizarras de peixes vivendo ali, mas nenhuma aparentemente mais perigosa do que o próprio ambiente, pois esses exploradores sempre voltam com sintomas variados e indefinidos, que felizmente desaparecem após alguns dias.         

Considerado como um tesouro da cidade, o Lago Semele e sua exploração comercial são controladas pela poderosa Guilda do Lago, que concentra em si a gestão das atividades nele e a partir dele exercidas:
                  
A Pesca

Primeira e mais importante atividade lacustre de Grindell, a exploração comercial da pesca no lago é feita por uma pequena frota de barcos rigorosamente controlada pela Guilda do Lago. Mesmo a pesca individual, com vara, rede ou qualquer outro meio, requer uma permissão específica fornecida pela GL, e a quantidade de peixes retirada do lago é motivo de minuciosos estudos por parte dos Sábios da cidade, que infuenciaram a GL a limitar essa quantia. Os pescadores queixam-se dessa política, pois segundo eles, o lago é abençoado pelos deuses e tem uma quantidade infinita de peixes. “Mesmo que seja verdade,...” - argumentam os Sábios – “... não é bom abusar das bênçãos dos deuses.”

Ainda assim, o produto da pesca supera as necessidades locais de consumo. A GL considera o peixe que não for comercializado até o dia seguinte à sua pesca impróprio para consumo, e determina que seja transformado em farinha de peixe para uso como fertilizante.

Há também no lago uma espécie de molusco muito apreciado tanto culinária quanto economicamente. Sua carne saborosa entra na receita de diversas iguarias locais, e não raro formam-se em suas conchas depósitos esféricos de calcário semelhantes em estrutura às pérolas
extraídas das ostras marinhas, exceto por suas cores vivas que variam entre o vermelho vivo e o verde azulado e pelo tamanho que pode chegar ao de um punho fechado de um adulto (já que alguns exemplares do molusco chegam a um metro de diâmetro de concha). Essas jóias são
chamadas aqui de "perolinas", e são amplamente usadas em ornamentos em Grindell.

O Transporte

Todo transporte lacustre pata uma taxa de trânsito à Guilda do Lago.  Aos trabalhadores locais é cobrada uma quantia irrisória, mas aos visitantes das Termas a oeste do lago essa quantia já é um pouco maior.

Nadar no lago também requer licença, e os infratores estão sujeitos a pesadas multas e até a prisão por infringir essa norma. Mesmo cair acidentalmente na água não é aceito como justificativa, portanto a todos os visitantes é recomendado adquirir ao menos a "Licença para Mergulho", a mais barata e válida para uma única imersão.

As Termas

A oeste do Lago Semele descobriu-se há muitos anos fontes geológicas de águas quentes. Essas fontes contribuem minimamente com o volume total de água do lago, formado principalmente pelo degelo de neve das altas colinas ao redor, no entanto o calor fornecido por elas impede o congelamento das águas nas margens oeste e sul no inverno.

A Guilda, percebendo o potencial da região, organizou a construção de casas de banho, residências de luxo, pequenas estalagens e alguns outros negócios no local, para estimular a visitação. Todas as
propriedades pertencem à Guilda, e alguns dos cidadãos mais ricos de Grindell e de Zhakarov pagam aluguéis para manter ali uma residência. Às águas das Termas de Grindell são atribuídas propriedades tonificantes e curativas, pelo que o pequeno bairro ali formado tem uma população flutuante porém constante.

Os terrenos ao redor das Termas originalmente eram rochosos e estéreis, mas vários moradores importaram terra fértil e introduziram plantas de seus reinos natais nas várias propriedades. As espécies que se adaptaram ao clima ainda hoje compõem a mais variada flora que
se tem notícia no Reinado, e uma visita aos vários jardins das Termas é um passeio extremamente agradável para os visitantes.

O Templo de Nerelim

No Bairro Nobre de Grindell, na parte Oeste da cidade, encontra-se um templo dedicado à Nerelim - A Deusa das Águas Doces - erguido pela Guilda do Lago. Parte da população ribeirinha freqüenta o templo, junto com a nobreza do bairro sem preconceitos. O templo poderia ser mais um se não fosse usado pela Guilda do Lago para sua sede.

No templo, todas as atividades da guilda são realizadas e organizadas. Os pagamentos dos tributos pela pesca, a compra de licenças para usufruir do Lago e das Termas, assim como as reivindicações dos trabalhadores lacustres.

Uma peculiaridade do templo de Nerelim é que este fica boiando nas águas do Lago Semele, sem estrutura de apoio alguma. Ninguém sabe como isto acontece, até por quê pagar-se-ia altas taxas para mergulhar-se nas proximidades do templo; a maioria prefere acreditar que seja o poder de Justin.

Todo clérigo iniciado no Templo de Nerelim é membro máximo da Guilda do Lago, os menores são os pescadores que mais servem como bodes expiatórios da sociedade lacustre. Os membros que desobedecem alguma ordem da guilda ou não cumprem com seus deveres são punidos. Casas já foram destruídas, algumas famílias foram saqueadas, outras exiladas, outros repousam secretamente no fundo do Lago Semele.

Uma boa maneira de reduzir os impostos cobrados pela guilda é tornar-se um dos fiscais da mesma. Estas pessoas, como o próprio nome diz, fiscalizam as diversas atividades exercidas no lago e nas termas. Cada fiscal possui um cargo específico para cada tipo de atividade. São eles:

Perols: Os Perols são responsáveis pela administração da extração das “Perolinas”, assim como qualquer coisa com função de adorno; Eles fiscalizam desde a remoção da jóia até a venda no mercado;

Ganois: Os ganois fiscalizam todas as atividades pesqueiras do local. São eles que determinam os preços dos peixes, quando os pescadores devem ou não pescar, cobram as porcentagens da guilda sobre o pescado e verificam a qualidade dos peixes vendidos;

Marjeiros: Os marjeiros controlam o tráfego lacustre. Interceptam os barcos a procura de irregularidades (todo barco possui uma marca de liberação) ou o transporte de algum produto ilegal, como a pólvora, por exemplo. Avisam aos transportes quando o trafego pelo lago já terminou;

Calids: São os responsáveis pela fiscalização. São divididos em Ucalids, que controlam os banhos e mergulhos no lago. Estão na mais baixa ocupação na hierarquia da guilda. Costumam serem fortes e "brocos"; Acqualids, que são os fiscais responsáveis pelas termas, cobram os impostos as "casas de banho" que alí funcionam; e os Mercalids. Os mercalids são odiados pelo comércio lacustre. Também pudera, são tão brutos, (e duas vezes mais maliciosos que os ucalids), os mercalids fiscalizam o mercado em busca de irregularidades na venda e compra dos itens fiscalizados pela Guilda. Se algo estiver irregular, eles costumam serem "enérgicos".

Guichis: Os Guichis são os responsáveis pela venda das licenças para tudo relacionado ao lago e as termas. Costumam atuar no próprio templo. São eles que sabem quem deve ou não os impostos;

Alguns Membros da Guilda

Justin Squelpar: Muitos nunca conseguiriam dizer que esta pessoa faz parte do conselho, já que, para a maioria da população, ele e conhecido apenas como "Clérigo do Lago", ou "Clérigo de Nerelin". O que poucos conhecem e a verdadeira historia dele. Há muita gente na cidade, principalmente os moradores mais novos, que nunca viram o líder da Guilda do Lago, e realmente duvidam do fato de que ele seja um clérigo. Desconfiam de que ele seja apenas um curandeiro se aproveitando do nome da deusa Nerelin. Mas todos na cidade respeitam o poder da Guilda.

Uy:
Este clérigo é conhecido pela população como um dos homens mais malvados da cidade. E também é um dos membros mais importantes da Guilda do Lago. Alguns o chamam de “Chefe da Guilda”. Realmente, Uy é muito mais visto que Justin hoje em dia.  Uy é insensível e já causou muitos desconfortos e humilhações aos que “transgrediram” as normas da Guilda... Para não dizer coisa pior. Faz o possível para ser temido e respeitado por todos. Até mesmo o prefeito, curva-se diante do clérigo, que a cada ano ganha mais fama por ser o um dos habitantes mais tiranos de Grindell. Pior pra ele.

Laqart:
Se alguém mete medo além de Uy em Grindell, este é Laqart. Este homem sempre está coberto por um capuz azul escuro. O seu cheiro é insurpotável, um odor de peixe podre está sempre com ele. Sua voz é esguia e serrilhada. Sempre carrega consigo uma maça gigante feita com espinhas resistentes de um peixe nativo de Calistia. Todos da Guilda sabem que Laqart é o carrasco de Uy. Rceber a visita dele não é bom sinal.

Selynna:
Ao contrário da maioria dos membros da guilda, esta moça é muito bem vista pelo povo de Grindell, principalmente pelos pescadores. Selynna é benevolente e sempre ajuda alguma pessoa que esteja encrencada com a Guilda. É uma ótima cantora e sempre abre as cerimônias religiosas do templo de Nerelim com lindas canções. Sua relação com Uy não é conturbada, pois apesar de Uy a detestá-la, no fundo o clérigo máximo possui uma paixão não correspondida.

 Millian:
Este jovem vive supervisionando o lago e é um dos responsáveis pela exploração do seu interior. Ótimo mergulhador, Millian está obcecado em descobrir os motivos dos sintomas que surgem nos mergulhadores que já chegaram ao fundo do Lago Semele. Estranhamente o jovem mergulhador não foi afetado em suas investidas ao fundo do lago. Rumores dizem que ele é filho de Justin.

Michele:
Esta garota é a mais jovem dos acólitos do templo. E sempre está próxima de Justin, o qual tem atenção especial com a bela moça. Michele vem sendo treinada pessoalmente pelo líder da Guilda. Sua devoção a Nerelim é indiscutível e assim, como Selynna, possui um bom coração. No entanto, a garota está tornando-se muito rígida, de personalidade forte, graças ao seu convívio diário e ensinamentos de Justin. Uy a observa com atenção, pois sente ciúmes dela.



Tales “Efreet” Pereira,
 Henrique Nigre Souza,
Douglas “Mago D’zilla” Reis

2 comentários:

  1. O texto tem alguns erros de gramática incômodos, poderiam rever issso, como erros de pontuação e o uso da palavra "estória" que não existe mais na nossa língua. Sem falar que o trecho "até por quê pagar-se-ia altas taxas para mergulhar-se nas proximidades do templo" ficou confuso e terrível de ler.

    O lago é legal, mas como isso poderia ser utilizado em uma aventura?

    Poderiam ter dado mais informações sobre a deusa em sí, estatísticas dela como deusa menor, talentos regionais, itens novos relacionados ao lago, uma ficha de Justin Squelpar, talvez, até, magias relacionada aos peixes e às águas. Enfim, poderiam ter dado mais opções para jogo em si.

    O lago é legal, mas merece mais detalhes.

    ResponderExcluir
  2. nerelin é um outro nome dado ao Deus Grande oceano.

    ResponderExcluir