sábado, 22 de janeiro de 2011

A Flor de Lótus: Uma ofídica casa de chá

O que todos sabem
A Flor de Lótus é provavelmente a mais antiga e maior casa de chá de toda Arton.  Desde que a Tormenta aniquilou a grande ilha chamada Tamu-ra., as casas de chás mais antigas foram destruidas. Foi fundada na pequena comunidade Tamuraniana que começava a se formar em Valkaria, pelo jovem e rico comerciante Norimoto Shigeru há mais ou menos trinta e seis anos.

A casa de chá funcionava numa grande construção com três andares de altura, onde também morava Norimoto e sua família (algumas pessoas mais velhas dizem que mais pessoas viviam no prédio, mas não se sabe muito a respeito). No primeiro andar, logo na entrada, era onde se encontrava o balcão, onde se faziam os pedidos, e vinte mesas para quatro pessoas. Ao fundo era onde estava a cozinha, onde se fazia o chá e também a comida. No segundo andar também haviam mais vinte mesas para quatro pessoas e um espaço reservado para músicos se apresentarem (os músicos era contratados da Casa de Chá), mais tarde também passaram a se apresentar dançarinos Kabuki. Ninguém nunca entrou no terceiro andar do prédio, mas sabe-se que era lá que Norimoto vivia.

Na casa de chá era possível encontrar todo os tipo de pessoas, desde os ricos tamuranianos que moravam na região, a pessoas mais humildes (inclusive não tamuranos) e os nobres de outras partes do conti-nente que passavam pela capital. Dizem que até o imperador-rei Thormy já teria feito uma visita à Casa de Chá, algum tempo depois de ter sido coroado. Naquela época, a Flor de Lótus fazia um grande sucesso dentro do Reinado, pois era uma novidade bastante exótica e trouxe muitas riquezas para seu dono, tanto que ele passou a abrir outras casas de chá na cidade depois de 7 anos de sucesso. A primeira que ele abriu se localizava no centro de Valkaria. Não era tão imponente quanto a original, mas ainda assim foi a que sempre gerou mais lucros porque o chá não era algo comum no Reinado, poucos não tamuranos sabiam fazê-lo em tantas variedades (nas casas de chá encontrava-se chás de todas as ervas, plantas e cascas existentes, além de outras coisas), mas todos o apreciavam e por isso procuravam a casa de chá mais próxima e este foi o motivo para abrir uma casa de chá lá.

Outras poucas casas de chá foram construídas na comunidade durante os anos que se passaram, até que ouve aquele terrível incidente que destruiu Tamu-ra, e uma parte dacapital da ilha foi transportada para Valkaria. Em três anos, duas novas casas de chá foram construídas naquela parte da cidade, para aumentar ainda mais os lucros de Norimoto, agora dono de sete casas de chá. Fora as casas dele haviam muito poucas e todas muito pequenas. As que tinham algum futuro logo eram compradas pelo comerciante (suspeita-se que quando o dono da casa não queria vender, ele era convencido por meios ilegais, como ameaças, mas nada conseguiu-se provar).

Nos dois anos que se seguiram, Norimoto foi castigado pelos dados de Nimb. Não se sabe o motivo, mas a qualidade de suas casas de chá começaram a cair. A variedade dos chás havia diminuído quase pela metade e o gosto deles já não era tão bom quanto antes. Os lucros diminuíram, mas aparentemente nada muito preocupante. Mas o pior ainda estava por vir. Sua esposa foi encontrada morta num beco de Nitamu-ra e um mês depois, a sua obra de arte, a casa Flor de Lótus sofreu um ataque terrorista e ele e mais 27 pessoas (incluindo ai funcionários, clientes e a família Shigeru) foram brutalmente assassinadas. Até hoje não se sabe quem, o que ou por que fizeram esse atentado, mas suspeita-se que isso foi planejado por algum dono falido de alguma outra casa de chá de Nitamu-ra.

No ano seguinte, Takao Zuiken, um homem com seus 55 anos comprou do governo de Nitamu-ra quase todas as casas de chá do falecido Norimoto, e até hoje é quem as administra. Muitos dos clientes antigos perceberam que a qualidade e a variedade do chá é quase tão boa quanto a dos tempos dourados da Flor de Lótus, mas aparentemente a segurança da casa de chá (e da cidade) não é mais a mesma desde do dia do atentado. Muitas mortes andam acontecendo na cidade se comparado com antigamente, apesar dos assaltos, antes muito comuns, terem diminuído um pouco.

O que poucos sabem
A verdade por trás da impressionante ascensão das casas de chá de Norimoto Shigeru era muito mais obscura do que parece. Norimoto era filho do líder do Clã das Sombras, um clã ninja de Tamu-ra, que praticava o tráfico de substâncias alucinógenas e viciantes através de algumas casas de chá que controlavam na ilha. Com a emigração de alguns tamuranianos, o estabelecimento e a formação de uma comunidade em Valkaria, o líder do clã enviou seu filho (e junto com ele, alguns dos ninja do clã) para o Reinado para que ele expandisse as atividades do clã .

Norimoto construiu na cidade uma casa de chá que chamou de Flor de Lótus (o símbolo de seu clã), que fez muito sucesso devido a ser uma novidade além da única num raio de seis mil e trezentos quilômetros! Além da casa de chá, as atividades ilegais iam muito bem, talvez muito melhor do que em Tamu-ra. Com a riqueza, Norimoto decidiu expandir ainda mais suas atividades e logo seu clã se tornaria o mais rico de Arton. A Flor de Lótus também servia como abrigo para ele e os demais ninja do clã. Também era onde ele guardava seus produtos de tráfico. Com o avanço dos negócios, Norimoto construiu mais casas de chá em pontos diferentes da comunidade tamuraniana e de Valkaria que também serviam como depósitos menores e como postos avançados onde se observava a movimentação da guarda.

As preocupações dentro do Reinado eram poucas. Não havia nenhuma caça aos ninja, a concorrência no tráfico era quase que mínima e o único clã além deles em Valkaria era o clã do Tigre, que trabalhava mais com serviços mercenários do que qualquer outra coisa e raramente eles se desentendiam. Até que, com a vinda para Valkaria de uma parte de Tamu-ra e do Clã da Raposa, a vida se complicou um pouco. Inicialmente Norimoto desconhecia a vinda de um outro clã para Valkaria e menos ainda que um outro estava se formando, então sua atenção estava exclusivamente voltada para a nova área de cidade que pedia para ter seu submundo controlado. Ele construiu duas novas casas de chá (e de drogas) nessa área nos três anos seguintes à aparição da Tormenta. Nesses mesmos três anos, o clã da Raposa estava se tornando bem ativo em Nitamu-ra e os roubos começaram a se tornar mais comuns gradativamente na cidade, e foi assim que o clã das Sombras tomou conhecimento da existência de um outro clã, e vice-versa.

Apesar de poucas, as raposas eram uma concorrência para Norimoto, pois elas também traficavam drogas e isso era algo que ele julgava exclusividade sua. A guerra entre esses dois clãs começou bem devagar no início, mas dois anos antes do atentado na casa de chá começaram as brigas armadas. Ouve baixas de ambos os lados e Norimoto voltou sua atenção para a guerra, a qual foi a razão da queda de qualidade de sua s casas de chá. A venda de drogas também foi prejudicada com isso e pelo clã não ser muito voltado às batalhas, ele estava em certa desvantagem em relação ao clã da raposa (os mais preparados fisicamente dentre os clãs que restaram). Nem mesmo o escasso reforço contratado do clã do Tigre ajudou significativamente. Até que aconteceu o inevitável: as raposas invadiram a Flor de Lótus e matam todos os que estavam lá dentro, acabando de vez com o Clã das Sombras.

Sem herdeiros, as casas de chá foram tomadas pelo governo e permaneceram fechadas durante um ano, quando Takao Zuiken, o líder do clã da Víbora, que permanecera anônimo até então, compra as casas de chá do governo com o dinheiro ganho em assaltos e outras formas de furto. A partir de então, o clã da Víbora passou a ter nas mãos o controle do tráfico de alucinógenos em Nitamu-ra e está se tornando cada vez mais rico. Aproveitando das baixas do clã da Raposa, Takao voltou sua atenção à caça aos raposas. A função das casas é a mesma que tinha quando funcionava para o clã das Sombras. A única novidade é que agora, dependendo de quem for o cliente que entrar na Flor de Lótus, o chá pode vir envenenado... 

Um comentário:

  1. No começo fala que a casa de chá foi formada na comunidade tamurariana em Valkaria e depois fala da chegada da Tormenta e da migração para a capital do Reinado, parece contraditório. A casa de chá foi fundada após o incidente ou já existia?

    Por que "conti-nente" e "apreci-avam" estam com ifem?

    "que permanecera anônimo até então, compra as casas de chá", o verbo "compra", no presente está incoerente com o restante do artigo, que está no pretérito

    Tirando esses detalhes, muito bom! A maioria dos trabalhos em volta de Tamu-ra e de Nitamura tratam o oriente de Arton como algo belo e perdido. Muito bom ler sobre a máfia e a criminalidade desse pedaço do cenário.

    Poderia ter estatísticas de jogo dos clãs, personagens, até classes de prestígio e talentos novos para os clãs!

    O artigo pode melhorar, mas está muito bom!

    ResponderExcluir